Vírus é uma partícula, basicamente protéica que pode infectar organismos vivos. Vírus são parasitas intracelulares obrigatórios e isto significa que eles reproduzem-se somente pela invasão e possessão do controle da maquinaria de auto-reprodução celular...

MOTOR DE BUSCA DE DOENÇAS VIRAIS
Escreva aqui os seus sintomas ou o nome da doença para saber mais sobre a doença viral que quer conhecer!

Escreva aqui o nome/sintomas da doença viral que procura:

A carregar...

sábado, 23 de Janeiro de 2010

Doença de inclusão citomegálica.


A maioria das infecções humanas por Citomegalovírus (CMV) é assintomática e grande parte dos adultos possuem anticorpos séricos contra o vírus. No entanto, quando ocorre manifestação clínica da infecção, sua apresentação pode ser diversa, levando, por vezes a um quadro grave, eventualmente fatal.
O CMV é um DNA vírus que, ao lado dos vírus de Epstein-Baar, da Varicela-Zoster e do Herpes Vírus Simples, pertence à família Herpetoviridae. Tem como característica principal a capacidade de formação de corpúsculos de inclusão intranucleares e citoplasmáticos no seu processo de multiplicação. É um agente oportunista pois pode permanecer durante longos períodos em estado latente no hospedeiro.
Epidemiologia
A infecção pelo CMV é universal. Sabe-se que 80 a 90% da população teve contacto com o vírus na infância, sendo o índice de infecção adquirida menor nos países desenvolvidos. É mais frequente em mulheres do que em homens, na raça branca do que na negra, em indivíduos do grupo sanguíneo A do que no grupo O, a prevalência de anticorpos aumenta com a idade, atingindo maiores níveis Instituto da Criança "Prof. Pedro de Alcantara" do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Unidade de Cuidados Semi-intensivos. Após os 30 anos. Constituem grupos de risco os imunodeprimidos, as gestantes, os indivíduos submetidos a grande número de transfusões e em prostitutas.
Patogénese
A infecção congénita pode ocorrer em qualquer época da gestação sendo que as adquiridas nos primeiros meses são potencialmente mais graves. A aquisição do vírus pelo feto, via transplacentária, pode ocorrer de duas formas: durante a presença do vírus no sangue, quando infecção primária aguda e devido a uma reactivação do vírus que se encontrava em estado latente no organismo materno, não obstante a presença de anticorpos específicos na circulação40.
A infecção pré-natal está relacionada à exposição do recém-nascido à secreção cervical, contaminado durante sua passagem pelo canal de parto, bem como exposto à contaminação com leite materno contendo CMV21 41.
Na forma adquirida, o mecanismo de transmissão é horizontal, ocorrendo através de secreções contaminadas, em especial urina, saliva, lágrimas e fezes. Alguns estudos demonstram uma maior incidência desta forma de transmissão em populações de baixo nível socioeconómico que estariam submetidas a condições mais desfavoráveis de higiene, habitação e saúde25. As transfusões e transplantes de órgãos, cada vez mais frequentes, constituem um meio de transmissão da doença de importância crescente nos dias de hoje. A propriedade do vírus de permanecer latente no interior de leucócitos e outras células, reactivando-se posteriormente, favorece esta forma de transmissão.

1 comentário: